sexta-feira, junho 2

A Arte e o Nada.

Teatro, música, arte e vida...
Tem que ter muita coragem e paixão.
Flertar com o vazio, onde mora o nada.
Inventar que seja quente, úmido e acolhedor, o vazio.
Sentir o vazio com as mãos, criar contornos com os lábios.
A necessidade de trair o nada põe nos olhos um desejo profundo de preenchimento e posse.
É preciso fecundar a mente, gestar um outro mundo, parir o sonho.
Pra isso a dor da técnica, a fúria pela originalidade, a busca que não cessa, a repetição, repetição, repetição, repetição.
Até que o gozo abale, dê arrepios, estremeça o mundo que parou pra ouvir.
Espasmos sagrados.
Pra fazer Arte tem que ser muito humano.

3 Comments:

At 8:32 AM, Blogger cacau said...

oh... acho que vai virar uma constante você me emudecer... Beijos de cacau...

 
At 1:33 PM, Anonymous Fabio Toro said...

Oi Márcia..cheguei aqui tbém nesse alternativo e criativo espaço, quando conversarmos, coloque isso em pauta tbém, de repente, quero me experimentar por aqui. Beijos

 
At 3:18 AM, Anonymous Ronaldo Faria said...

E pra fazer a vida tem de ser muito artista. E você o é. Afinal, o artista tem que transbordar emoções e sons de cada poro, de cada paixão, de qualquer personagem que inexiste sem invadir e transpor o corpo do artista. É um parir constante de vidas e vozes, vestígios de amores e desamores. Como você bem disse: espasmos sagrados.
Logo, nos deixemos "espasmar". Em cada madrugada, em cada segundo, em todas as vidas que ainda pudermos criar.
Um beijo, do fã
Ronaldo Faria

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home


Web Site Counter